Dulce Pontes encantou em noite de 1.º aniversário do Convento São Francisco

O Convento São Francisco (CSF) Coimbra, Cultura e Congressos celebrou, este sábado, um ano de atividade com um concerto de Dulce Pontes. A celebração aconteceu no Grande Auditório, que se apresentou praticamente lotado. Entre as muitas individualidades presentes, destaque para o presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, para a vereadora da cultura, Carina Gomes, ou para o músico Rui Veloso e o mágico Luís de Matos.

Senhora de uma voz poderosa e arrebatadora, Dulce Pontues apresentou um concerto que misturou vários estilos de música, todos eles trabalhados com enorme subtileza. Por aqui passaram laivos de fado, de música tradicional, do flamenco, de África e do tango. Sem abordar diretamente nenhum deles, Dulce Pontes e o excelente naipe de músicos que a acompanha, vestem os temas com uma roupagem original que os transforma, mas sem nunca perderem a raiz da qual partiram. Por aqui interagem sem se atropelarem, um cavaquinho, uma guitarra acústica, um piano, um clarinete, uma bateria, uma guitarra portuguesa, um violoncelo e várias flautas. Cada músico mostra os seus dotes e é aplaudido efusivamente.

Dulce Pontes começou sentada ao piano, depois levantou-se e a sua música ganhou corpo. Um corpo, o de Dulce, que abraça o som e dança.

Dulce Pontes trazia na bagagem o seu último e mais recente trabalho, “Peregrinação”, mas foi mais longe trazendo outro temas que deixaram a plateia rendida. Terminou o segundo encore com a “Canção do Mar” e a casa “quase vinha abaixo”. Antes do primeiro encore, Manuel Machado ofertou um ramo de flores à artista e no fim do concerto, visto que esta também tinha feito anos no mesmo dia. E Dulce Pontes soprou as velas de um bolo.

Sem ir por caminhos fáceis, mas com as músicas “recortadas” para poderem servir a sua incrível voz, Dulce veio ao Convento São Francisco fazer uma bonita festa (dupla) de aniversário, onde o público correspondeu mostrando que este espaço é já uma marca maior da cidade.

No fim, o público teve direito a uma flute de espumante que também contribuiu para celebrar este primeiro ano de atividade do Convento São Francisco Coimbra, Cultura e Congressos.