Responsáveis do URBACT III Gen Y City unânimes quanto ao sucesso da reunião de Coimbra

A reunião de dois dias do projeto URBACT III Gen-Y City terminou ontem à noite, com a maioria dos cerca de meia centena de participantes, oriundos de 12 cidades europeias, a considerarem esta jornada de trabalho, troca de experiências e conhecimento de Coimbra como bastante produtiva e interessante. A conjugação harmónica das visitas planeadas com as diversas sessões de trabalho tornaram - segundo a opinião do consultor internacional que acompanha o projeto, Jim Sims – a reunião de Coimbra num dos melhores encontros internacionais realizados no âmbito deste projeto.

Falou-se de cidades inteligentes e do desenvolvimento de políticas económicas, mas também se avaliou a atividade do projeto, tendo-se identificado algumas melhorias a introduzir. Por outro lado, a importância da apresentação e discussão dos planos dos diversos Grupos de Ação Local (um por cada cidade parceira), permitiu identificar as linhas de ação de cada cidade e, além da discussão para a melhoria dos mesmos, a aprendizagem de outras e diferente boas práticas, tal como o projeto preconiza.

A representante do secretariado internacional do programa URBACT III, Adele Bucella, enalteceu o equilíbrio entre os diversos pontos turísticos mostrados e os exemplos de boas práticas apresentados. Se foi fundamental mostrar e apresentar projetos com resultados comprovados na nossa cidade, como o IPN ou o projeto Há Baixa, foi também importante mostrar as nossas origens, a nossa história, a nossa cultura e como estas se interrelacionam com a Geração Y (nascidos nas décadas de 1980 e 90) e com os tempos modernos. 

A calendarização do encontro desta quinta e sexta-feira era ambiciosa, mas permitiu mostrar um pouco do melhor que Coimbra tem, o que de melhor se faz na cidade e, mais importante ainda, as suas inúmeras potencialidades. Da Coimbra da História e de estórias para a Coimbra que está disposta a apostar nas novas gerações, reconhecendo que o futuro e o desenvolvimento, em aliança com o passado, poderão tornar esta cidade mais atrativa e com maior capacidade de retenção para estas gerações.

A sessão de dia 30 de março iniciou-se com a receção dos cerca de 50 participantes, na Câmara Municipal de Coimbra (CMC), pelo presidente, Manuel Machado, pela vereadora da Cultura, Turismo e Juventude, Carina Gomes, e pela Coordenadora do Projeto do Parceiro Líder e, ao mesmo tempo, representante da cidade de Poznan (Polónia), Iwona Matuszczak-Szulc.

Posteriormente, os participantes estiveram na Ala Central do Antigo Colégio das Artes, onde foi efetuado o enquadramento histórico do edifício e do Pátio da Inquisição, seguindo-se a reunião de trabalho com o painel da manhã, com duas apresentações/videoconferência, de mais dois projetos enquadrados no Programa URBACT III: A “Smart Specialization in Cities and its importance fostering Creative Tech Talents”, por parte do perito externo do projeto IN FOCUS, Miguel Rivas. Este projeto pretende promover dinâmicas nas cidades de forma a captar e reter jovens talentos na área das novas tecnologias, aproveitando o seu conhecimento na criação de Cidades Inteligentes.

O outro projeto apresentado na quinta-feira foi “Tech Towns, Tech Hubs and Tech Business Support”, por parte do perito externo do projeto Tech Town, Alison Partridge. Este projeto tem como objetivo levar as novas tecnologias às “Old Towns”, promovendo o seu crescimento económico sustentado. Os projetos foram selecionados pelo perito externo do projeto GEN-Y City, Jim Sims, por serem exemplos de boas práticas que os parceiros devem conhecer.

O almoço decorreu na Casa da Escrita, onde o grupo aproveitou o momento mais informal para falar dos seus projetos locais e conhecer as realidades e evolução das restantes cidades, promovendo a partilha de experiências. Houve ainda oportunidade de realizar uma visita guiada àquele espaço da CMC.

Na sessão de trabalho da tarde foi apresentado o estudo realizado pelos alunos da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, a realizar estágio curricular no Município de Coimbra, no âmbito do Mestrado em Sociologia, intitulado “Os desafios da Geração Y na cidade de Coimbra”. Este estudo revelou a importância que a família tem na fixação e retenção dos jovens na cidade, sendo que apenas 15% dos inquiridos demonstrou interesse em sair do país para trabalhar; cerca de 30% mostrou interesse em sair da cidade.

O estudo em causa tem como objetivo a partilha de conhecimentos entre as universidades das cidades parceiras, contribuindo com os seus resultados para o desenvolvimento do projeto Gen-Y City. Depois foi apresentado o projeto Há Baixa, pelos alunos do Departamento de Arquitetura da Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra. Nesta apresentação mostraram que é possível desenvolver projetos inovadores, na área da reabilitação urbana e social, sem recursos financeiros. Para implementar o seu projeto recorreram ao apoio de diversas entidades, com e sem fins lucrativos, que colaboraram com recursos próprios - materiais de construção, por exemplo.

No primeiro dia foi ainda realizada uma visita guiada ao Núcleo da Guitarra e do Fado de Coimbra (Torre de Anto), a alguns pontos-chave do Centro Histórico da Cidade, ao Convento São Francisco e ao Portugal dos Pequenitos. A jornada terminou com uma visita guiada ao Museu Nacional de Machado de Castro.

No dia 31, os trabalhos iniciaram-se na Ala Central do Antigo Colégio das Artes, com uma intervenção sobre o Ponto Nacional URBACT, feita por Ana Resende, que mostrou aos parceiros a dinâmica nacional do programa. Seguiram-se workshops, sob o mote lançado pelo perito externo do projeto: quais as melhorias a implementar no Gen-Y City, com vista a alcançar os objetivos definidos pelos parceiros. 

O trabalho de grupo teve por base os resultados de um inquérito lançado pela Cidade Líder, Poznan, realizado no mês de março de 2017, através do qual se pretendia perceber a opinião dos parceiros sobre o curso do projeto, para posteriormente elaborar o Mid Term Review (relatório a apresentar decorrido metade do tempo do projeto).

Sendo um dos focos deste encontro transnacional o acompanhamento dos Planos de Ação Local dos parceiros (ações estratégicas a aplicar em cada cidade, destinadas à Geração Y), foram realizadas apresentações por todas as cidades, partilhando ideias que possam eventualmente ser implementadas pelos outros parceiros.

O almoço foi serviço nos Jardins da Associação Académica de Coimbra, decorrendo, em simultâneo, uma mostra cultural, organizada por secções da Associação, nomeadamente a de Fado.

Numa tentativa de mostrar as diferentes valências da cidade, o período da tarde contou com visitas ao circuito turístico da Universidade e ao Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, assim como ao IPN – Instituto Pedro Nunes, onde foi dado a conhecer o trabalho realizado, tanto na Incubadora como na Aceleradora e, ainda, algumas das empresas ali instaladas.

Este encontro internacional terminou com um jantar acompanhado de um espetáculo com Canção de Coimbra. Membros integrantes do Grupo de Ação Local, através do envolvimento da CIM-RC, do IPC, do IPN e da AAC, acompanharam o evento, tendo sido realizadas algumas entrevistais aos participantes. O envolvimento de Geração Y da cidade de Coimbra no encontro foi uma preocupação constante, dando a conhecer casos de sucesso, inovadores e de empreendedorismo jovem.