Atividade dos SMTUC em 2016 marcada pela aposta no investimento em frota

A opção por adquirir mais viaturas marcou o exercício de 2016 dos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC). Este é um dos dados em destaque no Relatório de Gestão e Documentos de Prestação de Contas 2016 dos SMTUC que o executivo da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) aprovou na sua reunião da segunda-feira.

Em síntese, o documento atesta que, no ano transato, se manteve o mesmo nível de atividade com base no aumento da eficiência, procurando consolidar e melhorar as condições de trabalho, numa perspetiva de continuidade da prestação do serviço e melhoria da sua imagem. Privilegiou-se o investimento em frota, tendo entrado ao serviço, em 2016, cinco autocarros novos, cinco autocarros usados e uma carrinha nova de 9 lugares para transporte de pessoas com mobilidade reduzida.

Ao nível da operacionalidade, destaca-se a instalação de um novo sistema de telemetria em parte da frota que ajuda a realizar a manutenção preventiva das viaturas. As alterações introduzidas na rede de transportes durante o pretérito ano, acompanhadas da instalação de novos painéis de destino de informação ao público, permitiram melhorar a qualidade do serviço prestado.

Foram abertos concursos para admissão de 21 trabalhadores, motoristas e assistentes operacionais para as áreas da manutenção e equipamentos. Incentivou-se também os funcionários a participarem em ações de formação contínua.

Em 2016, continuou a crescer a utilização do passe Consigo+ (dirigido a utentes que recebem rendimento social de inserção) e do passe de transporte escolar. No entanto, e apesar de todas as evoluções registadas e de não ter havido qualquer aumento de tarifário, não foi possível inverter a perda de passageiros e a inerente quebra das receitas.

Em 2016 foram percorridos 5283 milhões de km (em cheio), com um número médio de 90 viaturas (autocarros, troleicarros e miniautocarros elétricos) e efetuadas 327.159 viagens. Os principais  indicadores financeiros são favoráveis e registaram melhorias relativamente ao ano de 2015: o indicador de Autonomia Financeira passou de 27,5% para 34,2%; o indicador de Solvabilidade passou de 137,9% para 151,9%; o indicador de Liquidez Geral melhorou, subindo de 58,4% para 65,5%; o Grau de Cobertura do Imobilizado passou de 53,3% para 63,1%.

O Transporte de Passageiros representa 86,7% dos Proveitos e Ganhos de Exploração dos SMTUC e registou uma diminuição de 2,0%, como reflexo do decréscimo da procura no ano, traduzindo-se numa quebra de proveitos de 137.996,20 euros. As Taxas de Parcómetros sofreram uma diminuição de 5,1% em comparação com o período homólogo, no montante de -33.538,41 euros, tendo-se mantido praticamente no mesmo nível os proveitos com os Parques de Estacionamento.

O Custo das Existências Consumidas registou uma diminuição de 2,8% relativamente ao ano anterior, para o qual muito contribuiu a redução do Custo com Gasóleo e Lubrificantes. Para a dimuição do Custo com o Gasóleo contribuiu a redução de 3,8% no custo médio unitário do gasóleo.

A atribuição de um subsídio da CMC à exploração dos SMTUC, destinado a cobrir o custo social dos transportes, no valor de 638.491,58 euros e referente ao mês de fevereiro do corrente ano, fez parte também da ordem de trabalhos da reunião de ontem. A proposta foi aprovada por unanimidade.